Seja pra tomar uma ducha e um vinho pra acalmar, curtindo na balada, só dando virote ou para entusiasmar o flow por onde a gente passa, os brasileiros consomem música no YouTube diariamente. Ou seja, música é um dos grandes pilares do YouTube no Brasil.

A música é também uma das manifestações máximas da criatividade humana e uma poderosa ferramenta de comunicação. Compositores e artistas são fundamentais para a nossa cultura e merecem ser compensados de maneira justa e transparente.

Pensando nisso, o YouTube começou a assinar acordos de licenciamento com editoras musicais e agregadores no Brasil. Como resultado, a empresa agora paga compositores brasileiros e estrangeiros pela reprodução de suas obras no YouTube deste ponto em diante e também de forma retroativa, em concordância com as leis vigentes no Brasil.

“O primeiro pagamento sobre os direitos que representamos foi feito recentemente”, disse Luciana Pegorer, diretora executiva da Associação Brasileira da Música Independente (ABMI), um dos detentores de direitos que já assinou um acordo direto com o YouTube. “Assim como os nossos associados estão começando a receber valores pelo uso de seus conteúdos, retroativos inclusive, tenho certeza de que todos os titulares de direitos autorais terão seus direitos assegurados”.

Segundo a empresa, há muito a ser feito para fechar novos acordos no Brasil, garantindo que os compositores locais e estrangeiros sejam pagos pelo uso de suas obras no YouTube.

Para a Playax, que tem como foco a criação de tecnologias para o mercado da música, trabalhar com o YouTube é um desafio estimulante. “Estamos contentes em ver que resultados começam a ser colhidos a partir de agora por milhares de titulares de direitos autorais”, diz Juliano Polimeno, CEO da empresa.

Não importa quem realizou o upload de suas músicas. O YouTube leva seus direitos autorais a sério, garantindo que seus detentores recebam a compensação devida. Isso é possível graças à nossa tecnologia Content ID, que torna automático o gerenciamento de conteúdo usando os dados fornecidos pelos responsáveis pela obra. O Content ID já é responsável por 50% dos pagamentos direcionados à indústria da música globalmente.

Até hoje, o YouTube pagou mais de 3 bilhões de dólares à indústria musical no mundo todo, e esse número tem crescido de forma consistente ano a ano. Estamos direcionando receitas importantes aos criadores e detentores de direitos, tanto aos já estabelecidos como aos emergentes. Além disso, iniciativas globais como o YouTube Red e a possibilidade de oferecer conteúdo pago ou mesmo via assinatura para os canais dão ainda mais energia aos criativos.

“Sabemos da dificuldade que os compositores têm tido em recolher seus direitos. Empresas como o YouTube querem muito pagar os autores e ficamos felizes de poder contribuir com essa solução”, diz Emmanuel Zunz, CEO da ONErpm, empresa de distribuição digital de música que também já assinou com o YouTube.

Se você também gostaria de receber royalties pelo uso das suas obras no YouTube, entre em contato com um dos agregadores:

ABMI
eMotion
Nikita
ONErpm
Playax
Tratore

Por Christophe Muller, Diretor Global de Parcerias de Música do YouTube e Google Play