Posso dizer que sou um heavy user de redes sociais, porque gosto e porque a minha profissão exige. Sou coordenador de conteúdo e tenho que acompanhar o que tá sendo dito nas redes sociais.

Certo dia fui apresentado ao Snapchat, “aquele aplicativo que você manda nudes e a mensagem some depois de visualizada”. Queria saber mais, então fui até a play store do meu celular fazer o download. Mas o que era uma sensação entre os adolescentes, pra mim era mais app chato que logo desapareceria. Até que o Tio Mark fez um oferta de US$ 3 bilhões pelo app. Sim, muita grana, mas o que mais me impressionou foi o fato de não aceitarem. Logo pensei: “Opa, tem algo interessante nesse tal snap, que eu não notei“.

Voltei a usar, e dessa vez estava mais interessante, com uma linha do tempo, onde o seu “nude” fica salvo por 24h e depois PUF, desaparece. Claro, ninguém vai postar um nude na linha do tempo (ou vai?!). Passou a ter também conteúdos originais, de alguns portais, como Buzzfeed, Vice, MTV, etc e mais algumas outras mudanças que fizeram a plataforma alcançar mais usuários.

Mas foi dia 16 de fevereiro que o snap passou a ser minha rede social favorita e é por isso que fiz esse post, para mostrar o me levou a isso.

Comecei a seguir as pessoas certas

Bom, tudo mudou depois disso pois deixei de seguir muita gente que não era interessante pra mim e fui atrás do snap de pessoas que eu sou fã. Fazendo uma curadoria do conteúdo do meu app. Nas outras redes sociais isso é possível? Sim, inclusive fiz isso. Mas não podemos controlar aquele cara, que deixou aquele comentário maldoso em um post de uma pessoa que você segue. Nesse caso você pode ignorar, mas não pode evitar.

Não existem Haters / queda de braço entre PT e antiPT

Já pegando o gacho do motivo anterior, no snap não existem comentários, não é possível mitar, curtir e encher o ego de quem ta ali só pra ganhar popularidade. Talvez até tenham haters, mas eles não tem audiência, que é justamente o que o motiva. Dessa forma o número é beeeem menor. Dessa forma, não existem debates políticos, dividindo sua timeline entre PT e antiPT. Isso já um grande motivo pra gostar do Snapchat, mas tem mais.

Eu escolho o que quero assistir

Não existe EdgeRank como no Facebook, o snap não tenta mostrar o que é ~relevante~ pra mim. Simplesmente o conteúdo está lá e eu escolho se quero ou não assistir. Depois de limpar o que não é interessante, ainda posso decidir com um clique se vejo ou não. E se por acaso, eu quiser assistir daqui meia hora, ele ainda estará lá na minha timeline, pelo menos até dar 24 horas desde sua publicação.

Não preciso estar online o tempo todo

Não é necessário estar online pra acompanhar o que está sendo dito, até não faz sentido fazer isso, pois normalmente as histórias se completam. Portanto, posso reservar uma hora do meu dia pra assistir todo mundo que eu sigo, que eu continuo por dentro do que está acontecendo. Diferente da TV, por exemplo, em que eu preciso estar disponível exatamente no horário do programa. Isso tudo, claro, se você não for um criador de conteúdo.

A vida não tem que ser perfeita

As pessoas são muito mais verdadeiras, sem compromisso com o ângulo perfeito ou com a roupa perfeita. Não existe a obrigação de ser lindx o tempo todo. É como se o snap fosse os bastidores das outras redes sociais. Com isso existe uma aproximação muito maior entre os artistas e o público, mostrando que que as celebridades são como qualquer outra pessoa.

Bom, esses são alguns dos motivos que me levaram a ser um usuário ativo. E acho que você também deveria dar mais uma chance.