Projeto pretende recuperar a natureza e ajudar a população local através do reaproveitamento da lama deixada para trás em Mariana

Em novembro do ano passado, uma barragem da mineradora Samarco rompeu na cidade de Mariana, no centro de Minas. Todos se lembram dessa triste história. O mar de lama devastou o distrito de Bento Rodrigues, chegou a atingir o Espírito Santo e matou 18 pessoas.

Como esperado, até hoje os culpados não foram punidos e milhares de famílias continuam vivendo em condições precárias após terem perdido suas casas, rotinas e até familiares. A natureza, sozinha, demorará cerca de 10 anos para se recuperar. Mas, tem quem não quer esperar e botou a mão na massa lama.

Há três meses, nasceu “Tijolos de Mariana”, uma iniciativa da Grey Brasil em parceria com o Laboratório de Geomateriais da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e apoio do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens). O projeto, que não é financiado pelo governo e nem por empresas de mineração, está utilizando toda a lama deixada pela tragédia em tijolos. Isso mesmo, tijolos!

O objetivo é construir moradias, centros de saúde e educação e limpar a área atingida, contribuindo para o renascimento da região. Tudo isso, gerando renda para a população que ainda sofre tanto com o desastre. Desde janeiro, mais de 1.000 tijolos já foram fabricados artesanalmente.

tijolos de mariana

Agora, o projeto iniciou um financiamento coletivo, com a proposta de construir uma fábrica, operada 100% com mão de obra local, gerando cerca de 80 empregos diretos e indiretos à comunidade. A expectativa é que, em um ano, quase 1 milhão de quilos de lama serão retirados da natureza. A produção estimada é de 3 a 4 mil tijolos por dia.

As doações começam com R$ 25,00 e, acredite, sua participação pode mudar a vida de muita gente. Para doar, basta acessar aqui.