Trabalho como social media desde 2013 e acompanhei a transformação e amadurecimento das mídias sociais e da rede mundial de computadores, vulgo: Internet. Sou da geração do Orkut, Msn e Fotolog e a razão que nos levava a usar a internet na época, além de comunicação e informação quase sem barreiras, era porque era divertido.

Durante esse ~amadurecimento~ onde as mídias sociais transformavam-se em business, passamos a ter uma obsessão por números e isso parece ter impactado na comunicação, a busca pelo título perfeitamente indexável e nunca desobedecer os 20% limite de texto, fez com que perdêssemos de vista o que mais importa que são AS PESSOAS, sem elas nada faz sentido.

ROI, alcance, likes, cliques, engajamento e etc são super importantes, mas eles criam padrões e os padrões limitam. Quanto mais humana for a sua comunicação, mais chances das pessoas interagirem e lembrarem de você mais tarde. Esse processo é muito sutil e exige planejamento e dedicação, não da para criar do dia para a noite.

Trabalhar em sincronia sem dúvida é a melhor opção; usar os dados para melhorar o relacionamento, usar o monitoramento para cocriar conteúdo e resolver problemas reais, usar as informações dos usuários para melhorar a comunicação, são algumas ideias que podemos aplicar.

Quando falamos de mídias sociais falamos de relacionamento humano, muito mais que a relação entre marca e consumidor, vivemos na era do relacionamento entre pessoas que fazem as marcas e pessoas que consomem as marcas.

O que as mídias sociais nos proporcionam, e com o Snapchat se torna ainda mais claro é o poder de fortalecer a relação humana.

Evan declarou uma vez algo que para mim, resume toda essa discussão:

“Somewhere along the way, when we were building social media products, we forgot the reason we like to communicate with our friends is because it’s fun.”
Não pode ser chato.

A razão principal do Snapchat estar dando tão certo é porque é divertido.
Snapchat é espontâneo e o conteúdo efêmero faz você perder a vergonha, diferente de outras redes que eternizam o momento, nosso fantasminha faz você valorizar o AGORA e a melhor forma de fazer isso é: se divertindo.

Se eu te contar que você não precisa levar tudo sempre a sério e que você pode (deve) fazer umas piadinhas uma vez ou outra e que isso pode ajudar nas suas vendas? É tipo levar a brincadeira a sério, mas sem ser sério sacou?

Se você possui uma marca, nesse momento você tem as seguintes opções:

Continuar fazendo mais do mesmo porque isso parece ser o certo e além do mais, todo mundo está fazendo.
Fingir que as mídias sociais não são importantes e que você ainda está planejando se vai contratar uma equipe ou terceirizar com uma agência.
Começar AGORA!

Esse e outros textos sobre Snapchat você encontra no meu blog: snapworld.com.br

Beijos e até a próxima ❤

Pri MilkPriscila Milk, 22 anos, catarinense residente em Curitiba. Comunicativa, curiosa, teimosa e inquieta. Analista de mídias sociais, publicitária e e entusiasta do Snapchat no Brasil. Ama cerveja, café, internet e seriados, tendência a ser a velha louca dos gatos.